SANGUE DO DIABO 

SANGUE DO DIABO

Objetivo Através do uso de indicador, mostrar uma viragem, utilizando uma substância volátil.

Descrição A amônia (NH3) é uma base fraca, volátil e solúvel em água. O lactopurga apresenta fenolftaleína em sua constituição, que é um indicador ácido-base.

Material Água.
Lactopurga.
Amoníaco(NH4OH).

Procedimento Com a ajuda de um bastão de vidro ou pilão, triture o comprimido de lactopurga num béquer ou copo.

Acrescente 20mL de água e agite o sistema.

Filtre o sistema com a ajuda de um funil pequeno e papel de filtro, recolhendo a solução resultante em outro copo.

Adicione 10 gotas de amoníaco e observe.

Jogue um pouco da solução preparada em um pedaço de pano branco ou papel.

Deixe o sistema em repouso e observe.

Análise No momento em que foi adicionado amoníaco na solução de lactopurga, o sistema assumiu uma coloração avermelhada, pelo fato do meio ser básico que foi indicado por essa mudança de cor pela fenolftaleína. O tecido ou o papel irá ficar avermelhado, mas logo a cor desaparece. Isso ocorre porque a amônia é uma base volátil. Com isso, haverá a vaporização da mesma e a solução perderá seu caráter básico e passa a ter o caráter neutro, de acordo com a reação abaixo:

NH4OH(aq) —> NH3(g) + H2O
O odor característico também não ficará por conta da vaporização da amônia.

  1. Dois dedos de água em um copo.
  2. Um dedo de álcool em um copo.
  3. Uma colher (de sopa) de amoníaco.
  4. Uma colher (de açúcar) de fenolftaleína.

 

Apesar desse experimento ser conhecido por um nome bem assustador – sangue do diabo –, na verdade, ele não se trata de nada sobrenatural. Ele é chamado assim porque antigamente era muito comum, principalmente no carnaval, que algumas pessoas jogassem nas roupas de outras um líquido avermelhado. No momento, geralmente as pessoas ficavam com muita raiva ou assustadas, pois achavam que a mancha feita em sua roupa não teria concerto.

Porém, depois de um tempo, essa mancha desaparecia completamente, dando um ar misterioso a essa brincadeira um pouquinho malvada.

Para preparar o “sangue do diabo” e divertir-se, você precisará de:

* 20 mL de fenolftaleína (indicador encontrado em lojas de Química ou farmácias de manipulação);

* 20 mL de hidróxido de amônio (NH4OH) – conhecido comercialmente como amoníaco;

* 50 mL de álcool;

* 150 mL de água;

* Copo (ou béquer);

* Colher ou bastão de vidro.

Procedimento Experimental:

1- Misture bem a fenolftaleína no álcool até ela ficar completamente dissolvida;

2- Adicione a água, misturando novamente;

3- Por fim, acrescente o amoníaco e observe o que acontece.

E pronto! O famoso “sangue do diabo” está preparado.

Solução formada no experimento sangue do diabo

Você pode jogá-lo nas roupas, no sofá, na cama e em outros lugares. A sua mãe ou seus amigos levarão o maior susto! Porém, depois que secar, a mancha desaparecerá completamente. Se você colocar essa solução em um recipiente com borrifador, a mancha sumirá ainda mais rápido. Só tome cuidado com quem você faz essa brincadeira para não apanhar, heim?!

Mas por que isso acontece?

Bem, a fenolftaleína é um indicador ácido-base que muda de cor de acordo com o pH do meio. Em meios neutros e ácidos, a fenolftaleína fica incolor, mas, em meios básicos, fica com um tom rosa bem intenso, quase vermelho.

A solução preparada fica dessa cor porque o amoníaco é uma base formada por uma mistura de amônia na água. São os íons OH que tornam o meio básico:

NH3 + H2O ↔ NH4+ (aq) + OH (aq)

A mancha some porque o amoníaco evapora facilmente, e a fenolftaleína volta a ficar incolor.

Os indicadores ácido-base são substâncias que mudam de cor, informando se o meio está ácido ou básico. Existem indicadores sintéticos, como a fenolftaleína, o azul de bromotimol, o papel de tornassol e o alaranjado de metila. Porém, existem também algumas substâncias presentes em vegetais que funcionam como indicadores ácido-base naturais.

Geralmente, essas substâncias estão presentes em frutas, verduras, folhas e flores bem coloridas. Alguns exemplos são a beterraba, jabuticaba, uva, amoras, folhas vermelhas, entre outras.

Aqui aprenderemos a fazer um indicador ácido-base com repolho roxo e veremos como ele muda de cor à medida que alteramos o pH do meio através de alguns produtos que usamos no dia a dia.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.
bbraga

Sobre bbraga

Atuo como professor de química, em colégios e cursinhos pré-vestibulares. Ministro aulas de Processos Químicos Industrial, Química Ambiental, Corrosão, Química Geral, Matemática e Física. Escolaridade; Pós Graduação, FUNESP. Licenciatura Plena em Química, UMC. Técnico em Química, Liceu Brás Cubas. Cursos Extracurriculares; Curso Rotativo de química, SENAI. Operador de Processo Químico, SENAI. Curso de Proteção Radiológica, SENAI. Busco ministrar aulas dinâmicas e interativas com a utilização de Experimentos, Tecnologias de informação e Comunicação estreitando cada vez mais a relação do aluno com o cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *