Atividade 4 – 2 Série –  Propriedades da água para o consumo humano. Conceitos de pureza e potabilidade.

Atividade 4

Propriedades da água para o consumo humano. Conceitos de pureza, potabilidade, salinidade. É possível a despoluir um rio?

Conteúdos e temas: conceitos de pureza e potabilidade.

Competências e habilidades: fazer uso da linguagem química para expressar conceitos relativos à pureza das soluções e à concentração de solutos em sistemas líquidos; interpretar dados apresentados em tabelas e gráficos concernentes ao critério brasileiro de potabilidade da água; aplicar o conceito de concentração para avaliar a qualidade de diferentes águas; reconhecer como algumas propriedades específica da água possibilitam a vida no planeta.

Sugestão de estratégias de ensino: leitura de texto; trabalho em grupo; questões propostas; elaboração de
textos; discussão geral; leitura de tabelas; experimentos.

Sugestão de recursos: material experimental; textos; fontes de pesquisa.
Sugestão de avaliação: atividades propostas; questões propostas.

Água pura e água potável

Considerando a importância da água para a existência de vida no planeta, nesta atividade vamos procurar estabelecer a diferença entre água pura e água potável. É importante que você tenha conhecimentos sobre o tema para refletir a respeito da escassez de água tratada, do seu mau uso, do desperdício e das possíveis atitudes individuais e coletivas que têm o objetivo de minimizar os problemas detectados.

Vamos iniciar com a leitura de um texto. Leitura e análise de textos

A vida, como a conhecemos, depende da água, a substância mais abundante nos tecidos animais e vegetais, bem como na maior parte do mundo que nos cerca. Três quartos da superfície terrestre são cobertos de água: 97,2% formam os oceanos e mares; 2,11%, as geleiras e as calotas polares; e 0,6%, os lagos, os rios e as águas subterrâneas. Esta última é a fração de água aproveitável pelo homem, que pode utilizá-la para abastecimento doméstico, indústria, agricultura, pecuária, recreação e lazer, transporte, geração de energia e outros.

A água tem composição variada de acordo com a origem e materiais com que entrou em contato. Classificada como solvente universal agrega em seu meio todo o tipo de materiais e é também veiculo de desenvolvimento biológico.

A água pura

Água Pura – A água pura por definição é a água totalmente livre de outras substâncias, isto é, apenas H2O. Sendo a definição de pura é aquela utilizada em química, ou seja, ausência de outras substâncias, então a água potável não é pura. A água potável pode conter outras substâncias que foram absorvidas pela água mas não fazem mal à saúde.

A água mais pura utilizada na indústria é aquela utilizada para a geração de vapor e energia, tal água passa por um processo de desmineralização, de descarbonatação e de desaeração, retirando inclusive o oxigênio e gás carbônico dissolvidos.

É importante notar que a água extremamente pura pode ser prejudicial à saúde, pois a água carrega consigo sais minerais importantes para o funcionamento do organismo, uma vez que está pura ela age no corpo de forma contrária, solvendo e carregando sais minerais que estão presentes no corpo humano.

Para reconhecer se uma amostra se encontra pura, do ponto de vista químico, é necessário verificar se essa amostra apresenta um conjunto de propriedades constantes, como a temperatura de ebulição, a temperatura de fusão, a densidade e a solubilidade,além de algumas características químicas específicas da substância, de acordo com a tabela a seguir.

Uma substância apresenta um conjunto de propriedades específicas que podem ser usadas para a sua identificação.

Imagem relacionada

Água potável

A água potável pode ser definida como a água pronta para consumo, de pessoas e animais. Ela não pode apresentar riscos de doenças para quem a consome,ou seja, livre de substâncias e organismos que possam trazer doenças, além de não possuir cor, gosto, ou cheiro. Para que uma água seja considerada potável, devemos, portanto, analisar suas características físicas, químicas, biológicas e até mesmo radioativas.

Muitas pessoas pensam que a água cristalina é potável e que, portanto, não necessita de tratamento. Entretanto, apenas cor e odor não são suficientes para garantir que a água seja própria para o consumo, haja vista que organismos patogênicos microscópicos podem estar presentes e causar sérios danos à saúde. Sendo assim, a água potável não pode ser avaliada apenas visualmente, sendo fundamentais os testes de potabilidade.

Normalmente águas de rios e lagos não são próprias para consumo humano, sendo fundamental que passem por processos específicos em estações de tratamento de água. Após o tratamento, é importante que sejam realizados testes para confirmar se a água tratada corresponde ao padrão de potabilidade exigido pelo Ministério da Saúde. Caso esteja de acordo, a água poderá ser enviada para a população.

Tratamento de água

O tratamento de água visa reduzir a concentração de poluentes até o ponto em que não apresentem riscos para a saúde pública. Para tanto a água passa por diversos processos até ficar potável. Dois desses processos são polêmicos e discutidos em diversos paises como os EUA. São eles:

Desinfecção – A água neste ponto está aparentemente potável, mas para maior proteção contra o risco de contaminações, é feito o processo de desinfecção. Pode ser feita através do cloro líquido, do cloro gasoso, do ozônio ou de outras formas. A cloração, serve para eliminar os germes patogênicos (nocivos à saúde) e garantir a qualidade da água até a torneira do consumidor.

Fluoretação – Opcionalmente, pode ser feita a fluoretação, quando é adicionado fluorssilicato de sódio ou ácido fluorssilícico em dosagens adequadas. Com o objetivo de reduzir a incidência de cárie dentária, especialmente nos consumidores até aos 12 anos de idade, período de formação dos dentes. Por ser arbitrária, essa pratica costuma causar certa polêmica nos EUA, devido ao fato de que, em cerca de 20% dos casos, causa algum tipo de fluorose infantil.

Dentre os padrões exigidos pelo Ministério da Saúde, destacam-se a análise dos coliformes fecais, monitoramento de Escherichia coli, análise da turbidez e das substâncias químicas presentes, incluindo-se as cianotoxinas e verificação de ph, gosto, odor e radioatividade.

Observações: SDT – Sólidos Dissolvidos Totais pH é a medida da acidez – um pH menor que 7 significa uma água ácida. (-) indica que o componente da água não foi detectado ou não foi analisado (~) aproximadamente (1) Água de Chuva; (2) Água de Chuva; (3) Água do Rio Reno nos Alpes; (4) Rio em Rochas Graníticas; (5) Queda de água em estação chuvosa; (6) Queda de água em estação seca (7) Água de Lago (8) Água de Subsolo; (9) Água de subsolo; (10) Água de subsolo; (11) água de sub-solo; (12) Água de Mar.

Níveis Médios de Elementos Químicos encontrados em água doce de superfície e subterrânea não poluída

(!) – Diretrizes Salubridade (OMS – Organização Mundial da Saúde)

Principais doenças por água contaminada – Resumo

 

Poluição por Compostos Orgânicos

 

Compostos que afetam as qualidades organolépticas da água

 

Compostos adicionados à água pelas empresas de Saneamento Municipal

 

Parâmetros incluídos no monitoramento da qualidade da água

Coeficientes de Poluição Industrial – Efluentes

.

O problema da poluição da água é tão sério que dados da Organização Mundial da Saúde – OMS, dão conta hoje que já 30% da população não tem acesso à água potável e que 40% vive sem saneamento básico. Em decorrência desta situação diarreias e malária causam a morte de 3 milhões de pessoas ao ano sendo 90% crianças com menos de cinco anos. O problema tende a se agravar com a crescente migração para os arredores das cidades sendo já 2 bilhões os residentes em favelas ou assentamentos irregulares.

Para abastecer 19 milhões de habitantes da Grande São Paulo são produzidos 5,8 bilhões de litros de água tratada por dia. Essa água provém dos sistemas Cantareira, Alto do Tietê e Rio Grande. Embora a ONU recomende o consumo per capita de 110 litros de água, a média da capital tem sido de 221 litros por dia por habitante (dados de 2008). Levando-se em conta não só o consumo, mas também a perda de água por vazamentos, desperdício e outros, o Instituto Socioambiental (ISA) está promovendo uma campanha para combater o desperdício de água. Tanto as águas “doces” como as “salgadas” são imensas soluções aquosas, que contêm muitos materiais dissolvidos. Assim, a água na natureza não se encontra quimicamente pura. Mesmo as águas da chuva e a destilada nos laboratórios apresentam gases dissolvidos, como o CO2, o O2 e o N2, provenientes de sua interação com a atmosfera. É a presença desses gases e também de sais e outros compostos que torna a água capaz de sustentar a vida aquática – os peixes e outros seres não poderiam viver em água pura: eles necessitam do oxigênio dissolvido na água para sua respiração.

falta de água potável no Brasil e no mundo apresenta diversas causas, destacando-se a poluição e a falta de planejamento na distribuição desse recurso. Sendo assim, é importante que políticas sejam criadas urgentemente para garantir a conservação dos corpos hídricos, a despoluição de rios e que a distribuição ocorra de maneira adequada. Também é fundamental o investimento constante em saneamento, pois este garante um destino adequado ao esgoto e que água de qualidade chegue à população.

É importante destacar que a água potável é um bem valioso que merece atenção não só por parte dos governantes. Cada pessoa, ao desperdiçar água em sua casa ou poluir um rio, por exemplo, está contribuindo para que a quantidade de água potável seja reduzida.

Fazer a nossa parte é garantir qualidade de vida para a nossa geração e para as gerações futuras.

Água contaminada

A água contaminada pode ser definida como uma água poluída que provoca danos à saúde.

Água contaminada
A água poluída pode causar doenças, sendo, nesse caso, chamada de água contaminada

É comum ouvirmos pessoas dizerem que a água de determinado local pode trazer doenças em virtude da quantidade de poluição nela presente. Entretanto, uma água poluída é aquela que apresenta alterações na cor, no sabor e no cheiro, todavia, nem sempre ela provoca doenças.

Denominamos de água contaminada aquela que é capaz de colocar em risco a saúde da população graças à presença de agentes patogênicos, tais como bactérias e protozoários, e substâncias tóxicas, como metais pesados. Essa água, diferentemente da potável, não deve ser utilizada para consumo humano e nem mesmo para fins recreativos.

contaminação da água pode ocorrer de várias maneiras, destacando-se a poluição por esgoto, metais pesados, agrotóxicos e fertilizantes. Todos esses tipos de contaminação ocorrem principalmente como consequência do descarte inadequado dessas substâncias e por acidentes que poderiam ser evitados se fossem seguidas as regras básicas de segurança.

Dentre as principais doenças desencadeadas pela água contaminadadestaca-se a diarreia. Todos os anos, milhões de pessoas, principalmente crianças, morrem em consequência dessa doença provocada pelo consumo de água imprópria para consumo. O maior número de mortes encontra-se entre pessoas de baixa renda, em virtude, muitas vezes, de saneamento básico precário. Além da diarreia, outras doenças que podem ser transmitidas pela água contaminada são a giardíaseleptospirosecólera e febre tifoide.

Além dos problemas causados por organismos patogênicos, a água contaminada por substâncias químicas, como metais pesados e agrotóxicos, pode desencadear sérios danos à saúde. Esses contaminantes provocam envenenamento, desencadeiam danos ao sistema nervoso, fígado e rins e podem provocar até mesmo câncer.O grande número de mortes como resultado de água contaminada poderia ser evitado com projetos eficientes de saneamento básico.

É importante que ocorra uma maior fiscalização no que diz respeito ao descarte de substâncias químicas, uso de fertilizantes e tratamento de esgoto antes de seu lançamento nos rios. Também é essencial que a água seja tratada e testada antes de seu envio para a população.

Ao criar políticas que evitem a contaminação de água, estamos ajudando no abastecimento da cidade, pois mais água de qualidade estará disponível para a população. Além disso, contribuímos para manter a cidade limpa, prevenimos e controlamos doenças e promovemos melhores hábitos de higiene.

Classificação da água

Dentre as formas de classificação da água, destaca-se a que considera o grau de salinidade, sendo reconhecidos três tipos distintos: água doce, salgada e salobra.

Classificação da água
A água própria para o consumo é doce e potável

Ao pensarmos em água, é comum nos lembrarmos apenas daquela usada no nosso dia a dia. Entretanto, a água apresenta características que permitem classificá-la em diferentes tipos.

Uma das principais classificações é baseada na salinidade da água, ou seja, na quantidade de sal dissolvida. Segundo essa classificação, possuímos três tipos de água: doce, salobra e salgada.

água salgada é aquela que apresenta alta concentração de sal, principalmente cloreto de sódio, e salinidade igual ou superior a 30%. Ela é o principal tipo de água encontrado no planeta, representando cerca de 97,5% do total.

água salobra é aquela que não apresenta uma quantidade de sal elevada como a água salgada, mas não possui a mesma quantidade de sal da água doce. Essa água, que possui salinidade entre 0,5% e 30,5%, poderia ser considerada um meio-termo entre a água salgada e a doce. Esse tipo é encontrado principalmente em mangues.

Por fim, temos a água doce, que possui salinidade inferior ou igual a 0,5%.

Apesar do termo fazer alusão ao açúcar, na realidade, ele refere-se apenas a uma presença pequena de sal. É o tipo de água que usamos para beber e realizar nossas atividades diárias, como lavar roupas e tomar banho.A água doce pode ainda receber outras classificações, destacando-se a de água potável. Essa água não possui cor, cheiro e nenhuma substância ou organismo que pode trazer risco à saúde humana. É a água própria para consumo humano.

Existem ainda as águas chamadas de minerais, que, como o próprio nome indica, apresentam uma quantidade superior de sais minerais dissolvidos. Essas águas apresentam um sabor diferente das outras e possuem propriedades terapêuticas.

Geralmente elas são classificadas de acordo com sua composição química.Quando uma água, seja ela doce, salgada ou salobra, apresenta produtos que alteram as suas características físicas e químicas, dizemos que ela está poluída.

A poluição hídrica afeta a disponibilidade de água e outros recursos naturais

A poluição hídrica afeta a disponibilidade de água e outros recursos naturais

Quando, além dessas alterações, ela apresenta organismos patogênicos ou substâncias tóxicas que provocam doenças no homem, dizemos que a água está contaminada.

Poluição da água gerada por derramamento de Petróleo na Tailândia em 2013

Poluição da água gerada por derramamento de Petróleo na Tailândia em 2013

Além das águas encontradas naturalmente, alguns tipos são produzidos em laboratório para que haja a pureza necessária para a realização de alguns estudos, produção de medicamentos e limpeza de alguns materiais, por exemplo. Esse é o caso da água destilada, que sofre o processo de destilação para a retirada de todas as substâncias e sais minerais nela presentes.

água deionizada também é um tipo produzido em laboratório, entretanto, diferentemente da água destilada, ela não pode ser considerada pura. Ela caracteriza-se por não possuir apenas substâncias iônicas, não sendo livre de substâncias moleculares. Os processos para chegar à água deionizada são a troca iônica ou a osmose reversa.

Questões para análise do texto
1. O que é água potável? O critério de potabilidade significa o mesmo que o critério de pureza?

2. O que é água contaminada? Por que não é própria para beber?

De acordo com a legislação brasileira vigente, a água potável deve estar em conformidade com o padrão microbiológico aqui apresentado. Padrão microbiológico de potabilidade da água para consumo humano
Parâmetro Valor máximo permitido Água para consumo humano Escherichia coli ou coliformes termotolerantes Ausência em 100 mL Água na saída do tratamento Coliformes totais Ausência em 100 mL Água tratada no sistema de distribuição (reservatórios e redes)Escherichia coli ou coliformes termotolerantes Ausência em 100 mL
As instituições responsáveis pelo controle da qualidade da água em termos de potabilidade realizam periodicamente análises bacteriológicas para verificar a existência e a quantidade de micro-organismos, identificando-os como prejudiciais – ou não – à saúde, bem como análises físico–químicas para determinar a existência e a quantidade das espécies químicas dissolvidas em água.

Lembrando o que ocorreu em Caruaru, no Estado de Pernambuco, em 1996, quando muitas mortes foram causadas em razão do tratamento inadequado da água usada em hemodiálises, é, portanto, dever do cidadão estar atento à qualidade da água que usa e exigir monitoramento contínuo de espécies que possam afetar a saúde humana e a sobrevivência de outras espécies animais e vegetais.
Elaborado especialmente para o São Paulo faz escola. Fonte das tabelas: Portaria no 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Disponível em: <http://189.28.128.179:8080/pisast/saude-ambiental/vigiagua/normas-e-legislacoes>. Acesso em: 27 maio 2013.

3. Que danos à saúde pode causar a presença de chumbo na água potável? Qual é a concentração
máxima permitida para esse elemento na água potável, segundo a legislação brasileira? Quais são
suas fontes?

4. Por que atualmente não se considera recomendável o uso de panelas de alumínio?

5. Que malefícios à saúde pode causar a presença de nitratos na água que bebemos?

Adicionar aos favoritos o Link permanente.
bbraga

Sobre bbraga

Atuo como professor de química, em colégios e cursinhos pré-vestibulares. Ministro aulas de Processos Químicos Industrial, Química Ambiental, Corrosão, Química Geral, Matemática e Física. Escolaridade; Pós Graduação, FUNESP. Licenciatura Plena em Química, UMC. Técnico em Química, Liceu Brás Cubas. Cursos Extracurriculares; Curso Rotativo de química, SENAI. Operador de Processo Químico, SENAI. Curso de Proteção Radiológica, SENAI. Busco ministrar aulas dinâmicas e interativas com a utilização de Experimentos, Tecnologias de informação e Comunicação estreitando cada vez mais a relação do aluno com o cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *