Noções Gerais de Química Orgânica

Noções Gerais de Química Orgânica

A Química Orgânica trata dos compostos de carbono, principalmente, os hidrocarbonetos e seus derivados. É comumente considerada como um tópico em separado de estudo, porque o número de compostos de carbono é grande e variado. Os átomos de carbono são capazes de se combinarem entre si, bem como com átomos de alguns outros elementos, usualmente o hidrogênio, o oxigênio, o nitrogênio e o enxofre, excedendo a 2 milhões o número total de compostos orgânicos.

O número total de compostos inorgânicos (aqueles que são formados por todos os outros elementos juntamente) é de cerca de 100 mil. Por que o carbono é um produto tão prolífico de compostos? Existem várias razões, mas a principal é que os átomos de carbono formam fortes ligações entre si, sendo possível à existência de cadeias de átomos de carbono de qualquer comprimento.

Essas cadeias, que servem de esqueleto para as moléculas orgânicas podem ser simples e lineares ou podem ser ramificadas em qualquer posição. As cadeias, às vezes, fecham-se em círculos, formando estruturas cíclicas. Assim, as possibilidades são ilimitadas, levando a uma variedade interminável de compostos orgânicos. Constantemente, entramos em contato com compostos orgânicos na nossa vida diária.

Todos os organismos vivos, vegetais e animais, consistem em conjuntos de compostos de carbono organizados e altamente complicados. O termo “química orgânica” deriva deste fato, porque não haverá vida como a conhecemos sem carbono e os seus compostos.

Vejamos alguns dos materiais bem conhecidos em que o carbono aparece sob a forma de composto:

1) Todos os alimentos, com exceção de alguns sais minerais e água;

2) Combustíveis de todos os tipos inclusive o carvão, o óleo, a gasolina, o gás natural e a madeira (na realidade, com poucas exceções, como o hidrogênio e os materiais físseis, todos os combustíveis consistem em compostos orgânicos);

3) Lubrificantes e todos os outros produtos de petróleo;

4) Todos os solventes comuns, exceto a água;

5) Têxteis e fibras, inclusive as fibras sintéticas como o náilon, o orlon e o dácron, e fibras naturais como o algodão, a seda e a lã;

6) Couro e as peles;

7) Corantes de todas as espécies, tanto naturais como sintéticos;

8) Vitaminas e drogas medicinais;

9) Inseticidas e fungicidas;

10) Elastômeros, isto é os materiais elásticos, inclusive a borracha sintética, as resinas e os plásticos;

11) Papel e produtos de madeira;

12) A maioria dos explosivos;

13) Asfalto e alcatrão;

14) Sabões, detergentes e, enfim, os produtos cosméticos.

Nessa imensa variedade de substâncias, que têm estruturas e propriedades muito diversas, o elemento chave é sempre o carbono, sabido formar apenas três arranjos estereoquímicos – o tetraédrico, o trigonal e o linear.

Os compostos de carbono sofrem reações químicas diversas (adição, eliminação, substituição eletrofílica e nucleofílica, dupla troca, ácido-base, esterificação, hidrólise, polimerização, etc.) que serão abordadas ao longo das discussões sobre as matérias primas. É comumente considerada como um tópico em separado de estudo, porque o número de compostos de carbono é grande e variado., etc.).

Adicionar aos favoritos o Link permanente.
bbraga

Sobre bbraga

Atuo como professor de química, em colégios e cursinhos pré-vestibulares. Ministro aulas de Processos Químicos Industrial, Química Ambiental, Corrosão, Química Geral, Matemática e Física. Escolaridade; Pós Graduação, FUNESP. Licenciatura Plena em Química, UMC. Técnico em Química, Liceu Brás Cubas. Cursos Extracurriculares; Curso Rotativo de química, SENAI. Operador de Processo Químico, SENAI. Curso de Proteção Radiológica, SENAI. Busco ministrar aulas dinâmicas e interativas com a utilização de Experimentos, Tecnologias de informação e Comunicação estreitando cada vez mais a relação do aluno com o cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *